20 de setembro de 2018

Série | As telefonistas


A série espanhola "As telefonistas" "Las Chicas del Cableé maravilhosa, me conquistou de primeira, uma das melhores que já assisti, se não a melhor, estou na terceira temporada e está ficando  cada vez melhor, a história se passa na década de 20, iniciando no ano de 1928 na cidade de Madri e conta a história de uma mulher, Alba Romero, que depois acaba tendo que pegar o nome de Lídia Aguilar para roubar o posto de trabalho de uma das candidatas à telefonista em empresa de Madri, na Espanha.

Como quando a companhia começa a tentar implantar uma máquina que permitiria a ligação direta, sem a necessidade de intermediário de telefonistas; a preocupação das mulheres que tinham esse posto na empresa e que poderiam perder seus trabalhos. Em Madri, Alba conhece outras três mulheres: Marga, uma jovem inocente de uma pequena vila, aterrorizada pela cidade grande, Carlota, uma jovem que deseja fugir de casa para trabalhar e escapar da dominação do pai; e Angeles, uma esposa e mãe que se vê diante do impasse de seguir o sonho de trabalhar, enquanto, precisa enfrentar um marido opressor.


A série mostra fatores com os quais as mulheres tinham que lidar para conseguir pequenas coisas e direitos. Como o preconceito de que mulheres não saberiam como votar em bons candidatos se a elas lhes fossem dadas o direito ao voto, a luta das mulheres para conseguirem trabalhar fora de casa e etc.

Movimentos a favor de seus próprios direitos e a lei que estava sempre do lado do homem independente do que acontecesse, onde, até mesmo, um saque no banco requeria a assinatura e consentimento de seu marido.


Mesmo lidando com a ficção dos personagens, sabemos que aquela era a realidade de muitas mulheres. Série: 10/10.
©